Centrais se Organizam em Defesa da Aposentadoria

A coordenação da Campanha Permanente em Defesa da Previdência e Seguridade SOCIAL,está convocando as entidades estaduais e filiadas a se engajarem no movimento, de alcance nacional. Em reunião nesta terça-feira, a direção, composta por nove centrais sindicais, fez o lançamento oficial das peças de comunicação utilizadas para a divulgação das metas. Entre elas: CGTB,CSB, CTB, CSP,CUT, UGT e Força Sindical
O conteúdo foi amplamente debatido pelos representantes das centrais, hoje em alerta máximo, por conta do risco real de que a classe trabalhadora brasileira venha a perder mais um importante direito que é o de se aposentar, após décadas de trabalho. Mesmo marcada por diversas denúncias de irregularidades, a eleição de Jair Bolsonaro agravou a preocupação dos sindicalistas quanto ao risco concreto de extinção da aposentadoria, com a aprovação da reforma da previdência. A resistência vem sendo organizada em reuniões, assembleia e debates, que resultaram nas atuais bases que estruturam a atual campanha.
O conjunto de entidades envolvidas apresentaram propostas com o objetivo de garantir, aos trabalhadores, o acesso a uma previdência social pública, universal, sem privilégios e com capacidade para ampliar a proteção social. Esta é a base de todo o material a ser divulgado no decorrer da campanha. O acesso ao material de divulgação pode ser feito no portal da CTB.
A agenda de mobilizações foi definida em plenária realizada no Dieese, na segunda-feira,12. Ainda este mês estão previstas duas ações importantes: dia 22/11 haverá Ato Nacional em defesa da Previdência Pública e Universal com panfletagens. Em 26 de novembro, haverão manifestações pela previdência e contra o fim do Ministério do Trabalho em frente às Superintendências Regionais do Trabalho em todo o país.