Deve Aumentar a Carga Tributária Para os Servidores

Como se não bastasse a constante ameaça pelo fim da estabilidade, os trabalhadores do serviço público no Brasil continuam sob o risco de ter que pagar a conta do calote de mais de R$400 bilhões de reais dado pelos empresários; aos cofres da previdência. Proposta neste sentido já está sendo estudada pela equipe de Jair Bolsonaro (PSL). Pelo projeto, a contribuição previdenciária dos servidores poderá chegar a 22%. Atualmente, a alíquota aplicada sobre os vencimentos das categorias é de 11%. Se o Congresso aprovar, deve acontecer um efeito cascata nos estados e municípios.
A proposta que deverá penalizar os servidores foi elaborada pelo ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga junto com o economista Paulo Tafner. O principal argumento a favor é de que a alíquota previdenciária básica dos servidores poderá aumentar se houver necessidade “para a garantia do equilíbrio atuarial”. Além disso, autoriza a criação de uma suplementar. Isso desde que a taxa extraordinária somada à básica (de 11%) não ultrapasse 22% sobre a totalidade dos vencimentos dos funcionários ativos, aposentados e pensionistas.
Entre os sindicalistas a notícia impactou de forma negativa. Muitos acreditam que a medida causará um grande prejuízo aos servidores. “O servidor Público já paga, só de impostos, o valor correspondente a 5 meses de sua remuneração; com esse aumento estratosférico da Previdência Social, chegará a 10 meses de trabalho para pagar a contribuição”, declarou Ezequiel Sarges, presidente do SEPUB.