O Novo Presidente em Entrevista Exclusiva ao SITE do SEPUB

Marcos Afonso Moraes Pinheiro é servidor público e militante em defesa dos direitos dos trabalhadores há mais de uma década. Eleito presidente presidente do SEPUB, ele sabe dos enormes desafios que terá pela frente ao assumir uma das maiores e mais importantes entidades sindicais do Pará. Debutando na presidência, Marcos Pinheiro revela um projeto politico corajoso, arrojado com foco no que é realmente importante: o servidor. Confira

1)Qual a sua expectativa ao assumir a Presidência ?

Primeiro posicionamento nosso é consolidar o SEPUB enquanto uma entidade classista. manter o sindicato próximo da base de trabalhadores,continuar com nossa entidade sempre a disposição dos trabalhadores associados ,onde possam socializar seus problemas com o sindicato. É mostrar para as categorias que representamos o quanto é importante estarmos unidos, em especial neste momento por que passa o País hoje.

2)Como o senhor analisa hoje a situação política do SEPUB?

Nós analisamos que o movimento sindical, de uma forma geral está sofrendo um refluxo no Brasil e com reflexo no estado do Pará. Precisamos buscar formas de revitalizar o movimento sindical no Pará. Acredito que a construção de um sindicato forte e capaz de encaminhar suas lutas – frente aos atuais governos federal e estadual- é a aproximação com os trabalhadores.

3) Que tipo de Ação Política deverá caracterizar sua gestão?

Um sindicato classista. Um sindicato onde a base possa estar dirigindo junto com a gente a entidade. Não transformar o sindicato em um escritório, mas sim em um sindicato político. Para que possamos construir junto com a base a nossa plataforma de ações políticas, para os próximos quatro anos de gestão.

4) Quais os principais desafios à frente da entidade?

Passar para os trabalhadores o lado positivo, a importância do sindicato enquanto entidade e enquanto símbolo de luta e resistência dos trabalhadores. Hoje enfrentamos um certo desprezo e descredito, por conta da campanha de desvalorização, da perseguição do governo federal. Nossa gestão vai se empenhar em resgatar essa credibilidade junto aos trabalhadores.

5) O que os servidores podem esperar da sua gestão?

Podem esperar um sindicato classista, forte e junto dos trabalhadores. Vamos estar no dia a dia dos trabalhadores. Para que assim possamos continuar a construção de um sindicato forte e combativo e de luta. Nossos desafios são muitos, lutaremos pela valorização profissional, por reposição da defasagem salariais, das diárias, do vale alimentação, por melhores condições de trabalho e com segurança, a valorização dos servidores e servidoras para públicos e a melhoria na prestação dos serviços ao povo paraense são bandeiras de primeira ordem, sabemos que não depende só do SEPUB estas respostas, mas estaremos trabalhando arduamente para avançarmos.

6) Qual a sua mensagem para a diretoria e o conjunto dos associados?

Perante nossos colegas servidores assumimos o compromisso de dedicação e empenho nesta gestão que se inicia. Uma gestão marcada pelo diálogo e pelo trabalho duro em prol do trabalhador. Quanto a diretoria eu não tenho duvidas do compromisso de todos, com a responsabilidade de todos. E podem esperar uma diretoria combativa e aguerrida em defesa dos direitos dos trabalhadores.