Superlotação e Falta de Estrutura Física Resultam em Nova Rebelião

Para o presidente do SEPUB, Ezequiel Sarges o motim que vitimou 21 presos, deixou quatro agentes feridos e um morto, no Centro de Recuperação Penitenciário do Pará 3 (CRPP 3), no Complexo de Santa Isabel, Região Metropolitana de Belém, poderia ter sido evitado se o governo do estado investisse de forma séria no Sistema Penal.
A rebelião ocorrida no dia 10 deste mês foi destaque negativo para o estado, em pleno ano eleitoral, na grande imprensa de todo o país. “Há muito nós, da direção do SEPUB, estamos procurando chamar a atenção das autoridades competentes para os graves problemas nas casas penais de nosso estado. E a situação só não é pior por conta do trabalho dos agentes penitenciários que sustentam o sistema nas costas”, comentou Sarges.

De acordo com os dados de relatório do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o presídio estava superlotado e necessitava de obras de construção de muro adequado em caráter de urgência. A falta de investimentos por parte do governo Jatene acabou resultando em mais uma rebelião. Entre as vítimas estão quatro agentes penitenciários: Edson Oliveira ( já liberado), Ewerton Martins, Daniel Rodrigues e Robson Nazareno transferidos para o Hospital Metropolitano de Belém. O agente Guardiano Santana, de 57 anos, foi morto durante troca de tiros.